(14) 3513-0841 |
COMPROMISSO DE VERDADE
23 de setembro de 2019

Seres invisíveis. Crônica política por Dr. Renato Araujo

Quem não possui uma posição de distinção e destaque, acaba virando seres invisíveis, meras sombras em meio à coletividade.

Imagem Ilustrativa do Google

Neste nosso mundo globalizado e em pleno século 21, ainda podemos perceber sem qualquer tipo de esforço, como nossa sociedade permanece preconceituosa, seja pela cor de pele, religião, orientação sexual, condição financeira e também pelo tipo de trabalho que um indivíduo exerce no meio social.

Há tempos, venho observando e refletindo sobre o papel de extrema importância que os coletores de lixo, “lixeiros” ou Garis, desempenham em nossas cidades, em prol da higiene urbana, do asseio das ruas, da saúde pública e da manutenção e preservação do meio ambiente como um todo.

Uma curiosidade: o termo Gari, utilizado popularmente por aqui, surgiu na época do governo Imperial, quando foi chamado o francês Aleixo Gary, que ficaria responsável pelo transporte do lixo produzido no Rio de Janeiro para a ilha de Sapucaia. O sobrenome do contratado acabou sendo utilizado para a designação feita a todos os funcionários que realizavam a coleta de lixo nas ruas da cidade.

No que se refere ao preconceito pela relação de trabalho, o Gari é o que mais perece perante a sociedade, sendo estigmatizada no senso comum como um trabalho humilhante e imundo, confundindo neste caso o lixo com a figura do coletor, que antes de tudo, é um ser humano.

Infelizmente, estes trabalhadores ou “operários do meio ambiente”, são vítimas da “invisibilidade pública”, uma vez que as pessoas só enxergam a função relacionando com o seu executor, e quem não possui uma posição de distinção e destaque, acaba virando seres invisíveis, meras sombras em meio à coletividade.

Por mais que estes trabalhadores se sintam como personagens do estrato mais baixo de uma sociedade, nossa Constituição Federal de 1988, em seu artigo 1º, possui como um de seus fundamentos a dignidade da pessoa humana, que é um conjunto de princípios e valores que tem a função de garantir que cada cidadão tenha seus direitos respeitados pelo Estado. O principal objetivo é garantir o bem-estar de todos os cidadãos. Já o artigo 3º, inciso IV, possui como objetivos fundamentais da República a “promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”. Se cada cidadão tivesse consciência disso, certamente teríamos uma sociedade mais justa e solidária, livre das amarras do preconceito arraigada por diversas gerações.

Por fim, vale ressaltar a extrema importância do trabalho que os coletores de lixo exercem, merecendo total respeito e consideração tanto como seres humanos e como profissionais, visto que fazemos parte de um sistema no qual dependemos uns dos outros de forma direta e indireta para a sobrevivência neste mundo hostil, de provas e expiações.

Aos Garis, minha total estima, consideração e elevado apreço.

Por : Renato Araujo, Advogado

 

 

 

 

 

 

Autor: Renato Araujo- Advogado
Referência: O autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E FIQUE POR DENTRO DE TUDO O QUE ACONTECE NA REGIÃO.

QUEM SOMOS

Iniciamos as atividades do Jornal de Lins no ano de 2013, inicialmente com versão impressa. Estamos agora em versão online. Buscamos a construção de um veículo de comunicação que tenha Compromisso de Verdade com o leitor e a veracidade da notícia. Estamos construindo um Portal de Notícias e Informações ágil, moderno e repleto de conteúdo para prestar o melhor serviço ao leitor. Um veículo que mostre nossa gente e nossas realizações ao mundo, e traga o mundo até nossa terra.

FALE CONOSCO

Jornal de Lins

JORNAL DE LINS ©2021 | Todos os direitos reservados.
Pular para a barra de ferramentas