(14) 3523-9659 |
COMPROMISSO DE VERDADE
23 de novembro de 2017

O que não dizer a uma pessoa com depressão

Quem tem depressão precisa de acolhimento e companhia, não de julgamento e frases sem sentido.

 

Não é frescura, cansaço ou apenas uma tristeza: a depressão é uma doença e precisa ser respeitada e tratada como tal. É muito importante entender que ela se origina no cérebro por motivos genéticos, psicológicos ou ambientais e não há como evitar seu surgimento.

Assim como há locais no cérebro responsáveis pela fala e pela coordenação motora, há locais que controlam os sentimentos, com a liberação de neurotransmissores. Se ocorre uma disfunção nessa liberação, podem surgir doenças como a depressão ou a ansiedade”, explica a psiquiatra Analice Gigliotti, chefe do Setor de Dependência Química e Outros Transtornos do Impulso da Santa Casa de Misericórdia do Rio e diretora da clínica Espaço Clif.

Os sintomas da depressão são muitos – de tristeza permanente a pensamentos suicidas, passando por sinais físicos e comportamentais, como alterações no padrão de sono ou de apetite, falta de concentração ou de energia, baixa na autoestima e perda generalizada de interesse – e precisam de um diagnóstico médico.

Por isso, ao notar os sintomas, a recomendação é que se procure um psiquiatra que determine o tratamento adequado para cada pessoa. “A definição da medicação é muito delicada e precisa ser monitorada por um médico, que também vai encaminhar o paciente para a terapia”, afirma a psicóloga clínica Miriam Barros, especialista nas áreas de transtornos do humor e distúrbios comportamentais.

Além de medicamentos e terapia, ter uma rede de apoio ajuda muito quem está lutando para superar a doença. Mas atenção: existem atitudes e falas que, mesmo cheias de boas intenções, mais atrapalham do que ajudam. Se você quiser oferecer suporte a alguma amiga ou familiar, saiba o que nunca se deve falar para quem tem depressão e por quê.

“Durma bem e amanhã você nem lembrará de depressão”

Em primeiro lugar, é muito comum a depressão causar alterações nos padrões de sono, ou seja, nem sempre a pessoa conseguirá controlar esse “dormir bem”. Em segundo, depressão não é algo que se esqueça da noite para o dia. Quem tem diabetes, por exemplo, não esquece simplesmente que tem a doença, esquece? Isso vale para qualquer doença, inclusive para a depressão.

“Você é mais forte que a depressão”

Quem tem depressão se sente muitas coisas, mas forte dificilmente é uma delas. “A sensação de fraqueza pode ser muito grande. Insistir para que a pessoa seja forte a qualquer custo acaba causando nela um sentimento de culpa por não encontrar dentro dela o lugar de onde essa força poderia sair”, diz Miriam.

“Isso é só uma fase”

Realmente, se bem tratada, a depressão pode ser superada, como esclarece Analice: “É uma doença com curso de início, meio e fim. E possibilidade de reincidência”. Mas, no meio do furacão, a pessoa não consegue vislumbrar o final: seu foco fica no presente, que é sofrido.

Minha amiga toma este remédio e fica ótima, tente também”

Automedicação NUNCA é uma boa ideia. Para tratar a depressão, a medicação deve ser individualizada, com orientação e supervisão de um psiquiatra. “É um ajuste muito fino”, observa Miriam. “O cérebro é muito sensível, a compensação química pode variar de uma hora para outra, por isso sempre são necessários ajustes no antidepressivo.”

“Se enfie de cabeça no trabalho que você esquece disso”

Mais uma vez: depressão é uma doença, e como tal, não pode ser simplesmente esquecida. Tem que ser tratada. A questão do trabalho e dos estudos, inclusive, é bem delicada, porque a depressão pode causar uma completa falta de foco, além da vontade nula de sair da cama de manhã para mais um dia no escritório ou na sala de aula. É preciso haver muita compreensão por parte de chefes e professores para que a pessoa não seja prejudicada durante seu tratamento.

“Tem gente em situação muito pior que você no mundo”

Miriam ilustra uma parte da depressão da seguinte forma: “A pessoa só consegue ver a vida com uma lente cinza”. Isso significa que não existe escala de dor ou competição para saber qual situação é pior; todas parecerão ruins para ela. Tentar forçar a tirada dessa “lente” não ajuda em nada. Respeite o momento.

“Foque só na parte feliz da sua vida”

Sabe o lance da lente cinza aqui de cima? Pois então: para focar na parte feliz da vida, é preciso ter lentes coloridas, coisa que quem está tratando a depressão normalmente não tem – ou, se tem, é por momentos passageiros. Espere que isso se ajuste à medida que o tratamento evolui. Espere, também, que a pessoa demonstre interesse por coisas felizes, e respeite caso esse ânimo passe logo em seguida. Faz parte do processo.

“Tente relaxar um pouco”

Não é uma questão de cansaço, é uma questão de alterações cerebrais e fisiológicas que independem dos fatores externos. Uma pessoa com depressão pode relaxar agora e daqui a um minuto estar no mesmo quadro depressivo anterior – e é muito provável mesmo que isso aconteça. Ela também pode não ter ânimo para relaxar, o que faz parte da doença.

“Estou aqui, qualquer coisa é só me chamar”

“Quem tem depressão normalmente se sente um fardo, um peso, e acha que está sempre incomodando as pessoas, em qualquer lugar”, afirma Analice. Você acha mesmo que alguém nessa situação vai lhe chamar? Se acha, pense de novo, porque a resposta é não. Deixar com a pessoa a responsabilidade de vocês terem contato é a mesma coisa que dizer que não está disponível para ela.

Como agir com a amiga que tem depressão

“Ok, mas o que eu POSSO falar ou fazer pela minha amiga que tem depressão, então?”, você deve estar se perguntando. É mais simples do que você imagina.

“Estar perto é a melhor ajuda. Compreender essa dor e ficar perto sem fazer nada, se a intenção dela for não fazer nada”, sugere Analice. “Você pode se oferecer para fazer um café à tarde, para preparar uma refeição para ela. Tudo pode ser uma desculpa para estar ao redor sem que ela se sinta um peso”.

Miriam também recomenda que você ouça bastante sua amiga com depressão – caso ela queira falar, claro – e a ajude a resolver questões práticas do dia a dia, como ir ao banco para pagar uma conta, quando ela não tiver forças para isso. “No apoio à pessoa com depressão, o que vale mais não é o que se fala, é o que se faz. Não é discurso, é atitude, compreensão e acolhimento”, finaliza.

Colaboraram na elaboração da lista de frases que não devem ser faladas para quem tem depressão: Carlos Villela, Deborah Müller, Julia Piovenza, Mariana Pereira, Pedro Fraga e Samir Salim Jr. Muito obrigada!

 

 

Autor: Redação
Referência: Raquel Drehmer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E FIQUE POR DENTRO DE TUDO O QUE ACONTECE NA REGIÃO.

QUEM SOMOS

Iniciamos as atividades do Jornal de Lins no ano de 2013, inicialmente com versão impressa. Estamos agora em versão online. Buscamos a construção de um veículo de comunicação que tenha Compromisso de Verdade com o leitor e a veracidade da notícia. Estamos construindo um Portal de Notícias e Informações ágil, moderno e repleto de conteúdo para prestar o melhor serviço ao leitor. Um veículo que mostre nossa gente e nossas realizações ao mundo, e traga o mundo até nossa terra.

FALE CONOSCO

Jornal de Lins

JORNAL DE LINS ©2018 | Todos os direitos reservados.