(14) 3523-9659 |
COMPROMISSO DE VERDADE
21 de Janeiro de 2018

Idalécio Coutinho: Pode ser a mosca na Sopa

Pois é, este tempo chegou

Temos através da história e da ficção, relatos escabrosos boatos e lendas, de homens criando monstros, de monstros se tornando homens, metamorfoses horripilantes ou criaturas que se rebelaram fatalmente contra seus criadores.

Cientistas foram considerados hereges ou loucos, sendo ceifados impiedosamente ou enclausurados até a morte.

 Isso nos parece tão distante más se pensarmos que em apenas trinta ou quarenta anos atrás, éramos totalmente incrédulos ao ouvirmos afirmações da sabedoria popular que dizia: dias virão em que as pessoas se comunicarão em tempo, imagem e movimento real, mesmo que uma delas esteja do outro lado do oceano. 

Qual não seriam o espanto e o descrédito dado a alguém, que fizesse a seguinte afirmação: “Virá o dia em que teremos indústrias gigantescas fabricando mosquitos em escala comercial”, tudo em nome da ciência, e a bem de todos.

Pois é: este tempo chegou.

 Em 2014 a empresa britânica Oxitec, inaugurou no Brasil na cidade de Campinas SP, uma fábrica de mosquitos. A indústria garante que em fase inicial, poderá fabricar até dois milhões de mosquitos “Aedes Aegypti” por semana. Ora, não é segredo a ninguém que há anos, os governos do Brasil investem milhões de reais na tentativa de combater a esta mesma temível espécie de inseto.

 

O diretor de negócios da empresa na época, Sr Glenn Slade em um cálculo estimativo, deixou claro que uma cidade com média de 50 mil habitantes deverá desembolsar inicialmente, de dois a 2,5 milhões de reais, apenas para inserir os insetos no primeiro ano, e um milhão anualmente para a manutenção dos mesmos, (Globo G1.com /fábrica de mosquitos) já que haverá a necessidade de uma produção contínua, pois os insetos transgênicos vivem por pouquíssimo tempo, morrendo antes da fase adulta e não se reproduzirão naturalmente.

Queremos crer que isto não dê em mais um tiro saindo pela culatra, como aconteceu com os Pit bulls ingleses, que hoje, em alguns países do mundo são sacrificados, por causa de seu instinto anti-social, ou o caso mais recente dos famigerados Caramujos africanos, que invadiram o Brasil, quando alguém com o intuito frustrante e ganancioso de ganhar muita grana, quis transformar o bicho exótico, numa iguaria à brasileira importando o molusco, que se tornou num problema indesejável e repugnante, pois o caramujo é comprovadamente o transmissor em potencial de várias doenças, entre elas a meningite.

Há lugares em que a infestação já é considerada incontrolável, já que sua eliminação é extremamente difícil, se reproduzem muito rápido e em grande quantidade.

Procure a felicidade na tranquilidade e evite a ambição, mesmo que seja apenas aparente, para distingui-lo na ciência ou em alguma descoberta.” (Victor Frankenstein) o criador do monstro.

 

 

Autor: Idalécio Coutinho
Referência: Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E FIQUE POR DENTRO DE TUDO O QUE ACONTECE NA REGIÃO.

QUEM SOMOS

Iniciamos as atividades do Jornal de Lins no ano de 2013, inicialmente com versão impressa. Estamos agora em versão online. Buscamos a construção de um veículo de comunicação que tenha Compromisso de Verdade com o leitor e a veracidade da notícia. Estamos construindo um Portal de Notícias e Informações ágil, moderno e repleto de conteúdo para prestar o melhor serviço ao leitor. Um veículo que mostre nossa gente e nossas realizações ao mundo, e traga o mundo até nossa terra.

FALE CONOSCO

Jornal de Lins

JORNAL DE LINS ©2018 | Todos os direitos reservados.