(14) 3523-9659 |
COMPROMISSO DE VERDADE
21 de dezembro de 2017

5 sinais de depressão que raramente são falados

A depressão afeta as pessoas de formas diferentes, o que pode dificultar seu reconhecimento.

Geralmente se associa depressão a sintomas como fadiga crônica, aumento ou diminuição do apetite, isolamento, sentimentos de desesperança ou desespero, tristeza e dificuldade, de viver a vida. Inclusive, a mídia, de um modo geral, mostra uma pessoa incapaz de sair da cama ou participar de atividades familiares, isolando-se de todos à sua volta. Mostram alguém que não consegue se concentrar no trabalho ou que olha fixamente para o nada. Sabemos que esses são sintomas característicos da depressão, sim. Mas, algumas pessoas apresentam outros sintomas que podem passar despercebidos.

A depressão afeta as pessoas de formas diferentes, o que pode dificultar seu reconhecimento.

Aqui, vamos discutir os sintomas de depressão que, muitas vezes, são negligenciados, por você ou por outras pessoas que poderiam ajudá-lo.

Aqui estão 5 sinais de depressão que raramente são falados:

  1. Sentimentos de solidão

Sabemos que a depressão faz as pessoas se retirarem das atividades diárias, mas não consideramos o fato de que elas, realmente, querem as pessoas ao seu redor. Elas simplesmente não conseguem reunir energia para se levantar da cama, conversar e se conectar com os outros. As pessoas com depressão têm pouca energia, o que torna a socialização um fardo.

No entanto, pessoas com depressão realmente se beneficiam do engajamento social, segundo estudos. Em um estudo publicado pelo Journal of Affective Disorders, o psicólogo Dr. Alexander Haslam encontrou “uma evidência clara de que se unir a grupos e se identificar com eles pode aliviar a depressão”

No estudo, os pacientes com diagnóstico de depressão e ansiedade foram divididos em dois grupos: um com atividades como costura, ioga ou arte e esportes e outro que participou de terapia grupal em um hospital de saúde mental. Em ambos os grupos, aqueles que sentiam uma conexão mais forte com os participantes e que passaram a ver os membros como “nós” em vez de “eles”, menos de um terço, ainda, atendeu aos critérios de depressão clínica.

Então, sentir-se como parte de um grupo é essencial para a saúde mental. O isolamento parece aprofundar os sentimentos depressivos.

 

  1. Raiva ou irritabilidade

De acordo com uma resposta à pergunta “Quais são os sintomas somáticos da depressão menos comuns?”, o psicoterapeuta Mike Leary, respondeu: “Pode ser mais difícil para a maioria das pessoas reconhecer a raiva como um estado deprimido. Elas sentem-se no limite e podem vir a fazer algo drástico até o ponto de se matarem”.

Muitas pessoas têm problemas de raiva, mas realmente, poucos associam à depressão. No entanto, um temperamento instável poderia mascarar um estado mais vulnerável.

  1. Trabalho excessivo

Algumas pessoas com depressão buscam no trabalho algo para poder se concentrar. Eles ficam desanimados por acreditarem não poder mudar nada em suas vidas ou em si mesmos, então, mergulham em algo que podem fazer: trabalho. Torna-se um tipo de droga para distrair-se na esperança de que o desespero se dissipe.

Trabalhar por longas horas parece ser a norma do mundo de hoje, mas se uma pessoa usa o trabalho como uma desculpa para evitar seus problemas ou como uma saída para seus sentimentos, é quando isso se torna um problema.

  1. Dores físicas

Especialmente em adultos mais velhos, certos sintomas, como a dor, muitas vezes podem encobrir a depressão. Se temos músculos doloridos, podemos pensar que isso faz parte do envelhecimento ou relacioná-lo com algum trabalho mais pesado. Mas, se ele persistir, poderia apontar algo mais. Como nos sentimentos no interior, muitas vezes se manifesta nos sintomas físicos e os sentimentos de depressão podem desencadear uma resposta de dor muito real no corpo.

Dores de cabeça, dor nas articulações e outras dores, às vezes, podem sinalizar depressão.

  1. Lapsos de memória

Sabemos que a depressão faz com que o cérebro se torne essencialmente lento, criando uma neblina cerebral. Mas, a maioria das pessoas não percebe que uma perda de memória também pode apontar para a depressão. Em estado depressivo, o cérebro não funciona de forma otimizada, o que pode levar à deficiência cognitiva.

Uma pesquisa sugeriu que a velocidade de processamento, ou seja, a capacidade de receber informações de forma rápida e eficiente, está prejudicada em indivíduos deprimidos, de acordo com Natascha Santos, PsyD, psicóloga e terapeuta comportamental em Great Neck, NY.

O cérebro fica sobrecarregado com pensamentos penetrantes de tristeza e desespero, o que deixa pouca energia o mesmo se concentrar em qualquer outra coisa.

 

Concluindo, a depressão pode causar estragos no corpo e na mente e pode, inclusive, levar a outros problemas de saúde. Felizmente, existem muitas opções de tratamento e buscar ajuda não o torna um fraco ou incapaz. A depressão é uma desordem complexa, e a obtenção de tratamento profissional não é algo para se envergonhar.

Cuide-se muito bem!

Por:

Maria Lúcia Tavares

Psicóloga

CRP: 06/124040

Autor: maria Lucia Tavares
Referência: Fonte: Power of Positivity

COMENTÁRIOS

  • Fico feliz que uma psicóloga tratou do assunto aqui no jornal de Lins, é bom porque a Depressão muitas vezes é tratada com preconceito e não é isso que vai ajudar na cura….Obrigado ao jornal e a Doutora que tratou assunto no aspecto profissional!
    Parabéns!!

  • Olá, Franco Barni!
    Você tem razão! Ainda há muito preconceito com relação à depressão. Acredito que isso se deva, em parte, à falta de informação sobre a doença.
    Nossa intenção é trazer mais luz sobre um assunto tão importante e tão incapacitante. São mais de 350 milhões de pessoas com depressão no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Não é pouca coisa, não é mesmo?
    Acredito que a informação é um dos aspectos importantíssimos do tratamento!
    Nossa gratidão por sua contribuição!!! Um abraço.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E FIQUE POR DENTRO DE TUDO O QUE ACONTECE NA REGIÃO.

QUEM SOMOS

Iniciamos as atividades do Jornal de Lins no ano de 2013, inicialmente com versão impressa. Estamos agora em versão online. Buscamos a construção de um veículo de comunicação que tenha Compromisso de Verdade com o leitor e a veracidade da notícia. Estamos construindo um Portal de Notícias e Informações ágil, moderno e repleto de conteúdo para prestar o melhor serviço ao leitor. Um veículo que mostre nossa gente e nossas realizações ao mundo, e traga o mundo até nossa terra.

FALE CONOSCO

Jornal de Lins

JORNAL DE LINS ©2018 | Todos os direitos reservados.